Literatura

Fissura

fissura

por Clarice Casado

Da cidade
que inventa lixo
não esperava nada:
criado a poluentes
alimentando-se
do barulho
do desgaste
da correria
do incessante
cansaço humano
aguardava o instante
em que
de mansinho
sentiria
o sangue doce de Luzia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s