Jamie Saft e New Zion Trio em Porto Alegre

por Cassiano Rodka

Conhecido no circuito underground nova-iorquino por transcender gêneros musicais, o pianista Jamie Saft esteve em Porto Alegre apresentando o som do seu New Zion Trio. Neste projeto, o compositor mescla dois universos sonoros muito importantes em sua carreira: o jazz e o reggae, mais especificamente, o spiritual jazz e o dub. Em uma conversa após o show, Jamie me contou que percebeu que os dois gêneros musicais tinham uma intenção semelhante, a de elevar espiritualmente o ouvinte e os intérpretes através da música. Sendo assim, aliar ambos lhe pareceu muito natural.

Jamie Saft e New Zion Trio
New Zion Trio: Jamie Saft no piano, Brad Jones no contrabaixo e Ben Perowsky na bateria. Imagem: Cassiano Rodka

Com três discos gravados (um deles ao lado do percussionista brasileiro Cyro Baptista), o New Zion Trio passou a percorrer o mundo em shows intimistas. Este ano, foi a vez da América do Sul ganhar uma turnê do grupo e, para minha surpresa, Porto Alegre foi incluída no circuito. O aconchegante auditório do Instituto Ling foi o local perfeito para o pianista apresentar o seu repertório. Ao lado do baixista Brad Jones e do baterista Ben Perowsky, Jamie Saft tocou para uma plateia pequena em clima totalmente informal, como se estivéssemos assistindo um ensaio da banda. Entre uma música e outra, comentava as suas canções sem usar o microfone, falando alto alto para todos como se estivesse recebendo convidados em sua casa. Sobre “Pinkus”, confessou “eu realmente gosto dessa música, ela está praticamente em todos os meus discos”. De fato, a faixa aparece em pelo menos três álbuns do compositor, sempre em uma nova interpretação.

Além de suas próprias composições, Jamie Saft ainda presenteou a plateia com duas belas covers: “I Can’t Help It” do rei do pop Michael Jackson (composta por Stevie Wonder) e “Drifting” do guitarrista Jimi Hendrix, que ficou sensacional no piano. Sobre esta versão, Jamie me contou que foi incluída no álbum da cantora coreana Youn Sun Nah, produzido por ele e lançado neste ano. Outro lançamento do músico em 2017 que merece ser conferido é o álbum “Loneliness Road”, em que ele chamou ninguém menos do que Iggy Pop para cantar três composições jazzísticas dele. Phoda!

Se a intenção de Jamie Saft era elevar o espírito das pessoas presentes, digo tranquilamente que ele e seus comparsas conseguiram alcançar esse feito magnificamente. Para quem ainda não conhece, recomendo o álbum “Chaliwa”. Deixe tocar e voe longe!

thumb_IMG_1792_1024

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s