Literatura

Quase maturidade

Quase maturidade_P2
imagem: José Calimero
Já aqui não mora mais
qualquer revolta
não há dentro de mim
dor, mágoa, ressentimento, ou outra coisa
que valha a pena
o desabafo do verso
 
É essa onda de paz
que, sorrateira, aparece em um cabelo branco
que me faz lembrar
de quem um dia eu fui
e saber que tudo aquilo já passou
 
E no rápido passar do tempo
fico a contemplar a sua sabedoria
no fio solitário de um cabelo branco
que, por vezes, aparece
no topo da minha cabeça

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s