Literatura

Quase maturidade

Quase maturidade_P2
imagem: José Calimero
Já aqui não mora mais
qualquer revolta
não há dentro de mim
dor, mágoa, ressentimento, ou outra coisa
que valha a pena
o desabafo do verso
 
É essa onda de paz
que, sorrateira, aparece em um cabelo branco
que me faz lembrar
de quem um dia eu fui
e saber que tudo aquilo já passou
 
E no rápido passar do tempo
fico a contemplar a sua sabedoria
no fio solitário de um cabelo branco
que, por vezes, aparece
no topo da minha cabeça

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: