Cinema

Oscar 2019: análises e previsões (Parte Um)

asemananews-970

Na medida em que se aproxima o fim de fevereiro, os cinemas vão sendo inundados pelos filmes indicados ao Oscar. Se a cerimônia longuíssima e a premiação podem ser contestadas de diversas formas (não entregar ao vivo os prêmios de fotografia e edição?? Fala sério, Academia!!), esse ainda é um efeito positivo: muitos filmes bons que talvez tivessem vida curta ou sequer entrassem em cartaz ficam nas salas tempo suficiente para que possamos vê-los como foram concebidos, na tela grande com o som adequado.

Kendrick Lamar e SZA interpretam “All The Stars”, uma das indicadas a Melhor Canção Original

A atual temporada (como quase todas) tem muitas coisas interessantes e conversa bastante com o seu tempo. Desnecessário falar sobre a importância de “Pantera Negra” (Black Panther, Ryan Coogler, 2018), por exemplo. Num momento em que estamos saturados de filmes de heróis, a Marvel consegue colocar um gás na sua mega franquia com um filme extremamente contemporâneo: “Pantera Negra” não é só um filme sobre um herói negro, mas tem também personagens femininas fantásticas e profundas e um vilão bastante tridimensional, contrariando a maioria dos filmes do gênero. Além de tudo, é um desbunde visual. As sete indicações do filme se justificam: Edição de Som, Mixagem de Som, Figurino, Design de Produção, Canção Original, Trilha Original e Melhor Filme. Na premiação do sindicato dos atores dos EUA, o SAG, Pantera Negra destronou alguns dos favoritos e levou o grande prêmio da noite, o de Melhor Elenco. Ainda acho que não tem fôlego para ganhar o prêmio de Melhor Filme, mas deve nadar de braçada nas categorias técnicas, e o deslumbre visual de Wakanda merece.

Bradley Cooper e Lady GaGa cantam “Shallow”, a favorita na categoria “Melhor Canção”

Este ano temos dois musicais em destaque: a refilmagem de “Nasce Uma Estrela” (A Star Is Born, Bradley Cooper, 2018) e a cinebiografia de Freddie Mercury e do Queen, “Bohemian Rhapsody” (Bryan Singer, 2018). Em “Nasce Uma Estrela”, quarta versão da mesma história, Bradley Cooper se mostra um diretor competente (além do bom ator que é) e reconta a história do astro decadente e auto-destrutivo que encontra meio por acaso um diamante bruto de talento para ser lapidado (a cantora Ally, encarnada por Lady GaGa, uma das boas surpresas do ano). O filme obteve oito indicações: Mixagem de Som, Roteiro Adaptado, Fotografia, Canção Original (Shallow), Atriz (Lady GaGa), Ator (Bradley Cooper), Ator Coadjuvante (Sam Elliot) e Melhor Filme. Causou alguma estranheza a não-indicação do filme na categoria “Trilha Original”, já que é um musical e se sustenta muito em cima das canções. Sam Elliot, veterano e muito querido no meio, é o favorito na categoria Ator Coadjuvante.

Rami Malek emociona a todos nós com a recriação do show no Live Aid

O “Filme do Queen”, como é chamado no Brasil “Bohemian Rhapsody”, tem diversos problemas. Bryan Singer sequer terminou de dirigir o longa, debaixo da chuva de acusações de assédio e pedofilia que o envolveram. As polêmicas do diretor, porém, não arranharam a trajetória do filme que se saiu muito bem nas bilheterias. Ao que parece as ligações afetivas das pessoas com as canções do Queen e com a figura de Freddie Mercury fizeram com que as pessoas adorassem o filme apesar dos problemas que ficam à vista numa análise menos emocional. A questão é que o filme é FEITO para ser emocional, e assim ele funciona. O filme foi indicado nas categorias Edição, Edição de Som, Mixagem de Som, Melhor Ator (Rami Malek) e Melhor filme. O filme, por incrível que pareça, tem problemas de edição. A indicação nessa categoria se justifica pela recriação perfeita do show no Live Aid, que foi muito bem feita e encerra o longa. A atuação de Rami Malek (Mr. Robot) como Freddie Mercury levanta a discussão de até que ponto ele está atuando ou imitando. O público não liga para esse debate e AMOU Malek no papel. Ele vem levando todas as premiações possíveis: Spirit, Globo de Ouro, BAFTA e SAG. É um dos favoritos para levar o Oscar junto com Christian Bale. O prêmio de melhor filme, para mim, não seria uma zebra completa: da maneira como a votação é feita hoje, muita gente pode colocar “Bohemian Rhapsody” em terceiro ou quarto lugar na sua lista de preferências e, a partir daí, o filme poderia vencer.

Continuaremos com os principais indicados brevemente!

3 comentários

  1. Meu Deus, finalmente alguém com a mesma opinião que eu sobre o Bohemian Rhapsody! Não achei um filme ruim, inclusive me emocionei muito no cinema, mas depois, analisando tecnicamente, dá pra perceber que o longa tem diversos defeitos… inclusive, na minha concepção, eu vi o Rami Malek muito mais imitando Freedie Mercury do que atuando de fato… senti falta de muito mais emoção da parte dele em alguns momentos críticos, como quando ele sai do armário para a namorada, ou conta para a banda sobre a Aids…

    Sobre os outros filmes, também acredito que Pantera Negra, esse hino em formato de filme de super herói, leva as categorias mais técnicas, muito mais devido ao peso de filmes como Roma (que acredito que vai levar Melhor Filme) e Green Book, do que por falta de brilhantismo. Para Nasce Uma Estrela eu acredito no prêmio de Melhor Canção Original, mesmo amando o filme do fundo do meu coração, nas outras categorias a concorrência é bem forte!

    Curtido por 1 pessoa

    1. O que eu tenho dito sobre “Bohemian Rhapsody” é que eu adorei o filme, apesar dele não ser um bom filme. Acho que é isso, heheheh. Acho que muitas das ações meio sem sentido do Mercury a gente acaba justificando por já conhecer o personagem, apesar disso significar problemas no roteiro.

      Quando ao prêmio de Melhor Filme… ainda acho que está tudo nublado. Acho arriscado apostar em Roma: é um filme em preto e branco e que não é falado em inglês, além de ser distribuído pela Netflix, o que causa um certo ranço na indústria. Para mim, o melhor da temporada é outro, do qual eu vou falar nos próximos posts, hehehe. Obrigado pela visita e pelo comentário!

      Curtido por 1 pessoa

      1. de fato o “Bohemian Rhapsody” é um filme cheio de problemas de produção e algumas polêmicas… eu gostei do filme, muito devido à trilha sonora, não dá pra desgostar da música do Queen…

        tbm não tenho ctz da vitória de “Roma”, só acho ele bem superior ao “Bohemian Rhapsody”… pra falar a verdade vou usar essa semana pra matutar bastante, pq esse prêmio de melhor filme tá me deixando bem confusa nos meus palpites HHAHAHAHAHAHHAHA

        Curtir

Deixe uma resposta para Pedro Cunha Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s