Literatura

Despedir

imagem: Isabel Dall’Agnol
imagem: Isabel Dall’Agnol

Teu olhar desanda.
E a boca se esconde.
E a vontade
se perde na distância.

Não há beleza
que te cubra.
Ou palavras
que te sorriam.
Ou mãos
que te alcancem.

O meu calor
tem sede.
O meu carinho
tem ânsia.
O meu gosto
te chama.

Esse agora
me dá medo.
O pensamento
faz-se ausente.
E aquele sonho
só ressente.

Meu corpo
cansou de pedir.
E essa tristeza…
Que tomou conta
dos teus lábios.
É a sobra.

Está frio.
Desatento,
aquece esse vazio.
Por último,
que suplico.

Aperta.
Toma.
Despele.

Nosso segredo
é pó.
Nosso balanço
ficou antigo.
Eu já não sou
abrigo.

O que dói
não te toca.
O que invade
te foge.
Eu já não sou
sorte.

Vago.
Retrato.
E recolho.
O que me resta
é o despedir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: