Literatura

Meu manifesto

imagem: Cassiano Rodka

por Tamiris Pazin

Fica decretado o seguinte:

Que a gente possa sentir toda dor que invariavelmente nos visita. E que a gente possa abraçá-la. E deixá-la ir.

Que a gente possa querer perto da gente somente quem não nos desestabiliza.

Que a gente possa ver coragem no excesso do sentir. E que isso seja dom. Seja encantamento.

Que a gente enxergue as pegadas iluminadas que nos guiam para o caminho de volta. E que a gente sempre encontre o caminho de volta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: