Literatura

Quando a lua sangra

imagem: Isabel Dall’Agnol

meu corpo perde o prumo⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
entre o pulso e o impulso⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
flutuo em minha própria armadura de fios transparentes⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
repelindo e atraindo⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
sombra e luz⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
luz e sombra⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
na meia lua do meu peito sangrando⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
por ser de tantos⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
e de ninguém⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
lua cheia de desencontros⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
ela gira e gira em torno do meu texto⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
eu perco o eixo⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
e o contexto⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
expandindo e contraindo o mar em mim⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
minguando até a última gota da palavra⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
no céu⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
da palavra⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
na terra⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
da palavra sangrando lua 


Texto inspirado em uma foto de Isabel Dall’Agnol como parte do Desafio de Novembro do P2. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: