Piras

Promessa

“O céu é só uma promessa, eu tenho pressa, vamos nessa direção” já cantavam os Engenheiros do Hawaii. Promessa: afirmativa de que se dará ou fará alguma coisa; compromisso oral ou por escrito.

O problema da promessa é que ela é anacrônica. Estou eu, aqui, prometendo algo que será feito mais adiante por uma Brunna que talvez nem ache que esse troço ainda faça sentido. Nas palavras de Radiohead: “eu vou ser sua força, sua esperança, mantendo sua fé quando ela for embora”. Honey, e se você não quiser ser mais isso? Mas talvez esse não seja o melhor exemplo porque na mesma música diz que “eu prometo não fugir mais, até mesmo quando o navio estiver quebrado, me amarre ao deck podre”. Ãhn?

É aquela máxima: “quando eu passar no vestibular, eu vou cortar o cabelo” ou “se eu passar no vestibular, não vou cortar o cabelo por um ano”. Ou ainda: “esta semana eu não vou mais beber meu vinhozinho depois do expediente”. Aí o seu eu do futuro fica POR QUE VOCÊ FEZ ESSA PROMESSA? ELA NÃO TEM MAIS SENTIDO! FODA-SE! NÃO VOU CUMPRIR. Nessa hora bate aquela dúvida: será que o universo vai me punir por isso?

O problema da promessa é que ela é ignorante. Fazemos uma promessa acreditando que ela PODE ser cumprida, mas muitas vezes nem sabemos a real aplicabilidade dela. É o famigerado “eu prometo que vai ficar tudo bem”. Ah, claro, porque você, alecrim dourado, conhece e controla todas as ínfimas variáveis desse universo para garantir que “vai dar tudo certo”. Cê não tem como saber isso. A promessa envolve outras pessoas, sistemas, organizações e até mesmo a banda When in Rome, que eternizou uma música sobre promessa, esqueceu dessa parte quando dizia “eu prometo que você vai se apaixonar por mim”. kkkkk

Se a gente realmente tivesse certeza de algo, a gente chamava de plano/meta/objetivo e não promessa. Quer melhor exemplo que promessa de campanha que depois se percebe que não tem como cumprir? “Enquanto o sistema só tá prometendo, por lá as nota voa e faz elas correr atrás, então avisa pra mídia: a quebrada tá no ar. O que eles promete não é o que chega pra cá”, já diria o MC Leozinho.

O problema – e a delícia – da promessa é que ela é ilusória. Beeeem no fundinho, a gente sabe de tudo isso que eu falei, mas o gostinho que a ilusão traz às vezes fala mais alto. Não estaria o erro da promessa em condicionarmos nossas decisões ao fato de que ela realmente vai acontecer? Ou talvez o problema da promessa não esteja em quem faz – que, por alguns segundos, tem fé de que pode cumprir – mas em quem acredita.

Então, jovem, prometa. Prometa muito. E acredite também. Acredite por alguns segundos que vai ficar tudo bem, que o amor é eterno, que você é única, que aquela verba será destinada, que você vai deixar de controlar tudo, que você vai realizar os planos deste ano. Às vezes a gente só precisa de um pouquinho de ilusão – a realidade, cheia de frustrações, a gente deixa pra outra hora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: